Quanto mais velho, quanto mais novo...

31.3.2014

Quanto mais velho, mais doido! Tava pensando nisso com todo respeito e aprofundamento que as filosofias madrugais festivas podem permitir. E tudo bem que isso não necessariamente seja uma regra, tipo Fábio Jr. x Tom Zé – também achei estranha a comparação mas é que por esses dias conheci o primeiro disco do Fábio Jr., com letras do Paulo Coelho e um groove sublime, e olhe, uma pedrada, tanto pelo som em si quanto pelo choque, frente ao preconceito em que estive imerso por tanto tempo... Daí depois você ouve o Tom Zé, hoje - o velho tá cada vez mais louco, novo e empolgado em sua sinceridade madura, é lindo! de alguma maneira o Júnior pirou também...

 

E sim, o maduro é franco, o pueril também, já a juventude parece que tem que carregar uma certa pose, sem contar que da pra ser jovem, gasto ou novinho em folha em qualquer idade, é tudo questão de experiência e berço, afinal, a gente é feito de tudo pelo que passamos associado a tudo que já éramos quando nascemos, coisa de gene, ou alma, entenda como quiser.

 

Pensei nisso tudo pois vi no Marca Passo um lugar para a idade geral – menor não entra, uma pena, pois parece uma boa iniciação, não que a adolescência seja carente de extremismos manicomiais, mas é que se bem direcionado o poder do Jedi, ele vai longe, e ainda fica com a moçinha no final, ou o mocinho, ou o dinossauro, ou morre... (está cada vez mais difícil acertar as regras, elas estão sempre querendo mudar...)... sabe do que estou falando? Na última quinta-feira tivemos dois aniversários, uma loucura, fanque na invasão do palco, um concurso maluco de cantoria da galopeira em que o mesmo desvairado do bonde dos sem trilho ganhou por unanimidade e WO... e nisso tudo foi alegremente impressionante notar como as duas homenagens, protagonizadas por seres felizes, amados e de tempos distintos, cantaram tão bem e em uníssono um parabéns carregado de franqueza e banhado no rock.

 

Todos temos tanto o que aprender e ao mesmo tempo nos conservar em aprendizado constante - eu, por exemplo, acabei de retomar minha lição com Fábio, o Júnior: que na vida tudo muda o tempo todo... do bom pro ruim, pro melhor, pro incrível, pro sinistro... Platão também gosta dessa, Jesus, os buda tudo e mais uma renca... bora correr no passo largo, olhando pros lados, para o trás e para o avante, para o alto, adentro e adiante, bora nessa não por que atrás vem gente, mas é por que tem gente na frente que pode falar do futuro, das coisas que ainda não sabemos, onde acertamos, onde nos fodemos.

Please reload

Please reload